Imagem

…quase isso!

As vezes me pergunto porque algumas pessoas não gostam ou não sentem vontade de viajar, isso me intriga bastante,  sempre fico muito eufórico nos dias que antecedem, independente do lugar ou da maneira que iremos, seja de carro, de avião ou de ônibus. Porém para outros é motivo de grandes inquietações.A muito tempo a traz conheci uma pessoa que durante os dias que antecedem e no dia da viagem passava maus bocados.

Sempre me perguntei sobre esse caso, e achei que era algo relacionado a deixar o seu cantinho, suas coisas, sua casa, a meu ver, viajar era algo tão gratificante tão prazeroso, claro, depois dos meus 9 anos, alias, porque só depois dos 9 anos?! Procurando nas minhas lembranças, encontrei o que me ocorria antes dos meus 9 anos.

Até os meus 9 anos, ou sei lá algo por esse período, meus pais com meus tios, sempre viajaram muito, todos os feriados alugava uma casa no litoral norte, estrada a frente, “vamo bora”, como era gostoso, posso dizer com certeza que conhecemos todo o litoral norte, de Bertioga até além da divisa com o Rio de Janeiro. A estadia era maravilhosa, as praias paradisíacas, porém como nem tudo é tão simples quanto parece, o processo de ida e volta não era um dos mais prazerosos, para o ser que voz fala, sabe como é criança as vezes presta atenção demais nos papos dos adultos, e o que sempre falavam era “o carro pode quebrar!”, imagina o que acontecia no “incrível mundo de Bob” você faz idéia? Eu imaginava e acontecia de tudo e mais um pouco, era terrível que mente fértil, que sofrimento chorava rios, mas bastava chegar na praia tudo mudava, era maravilhoso, o sol brilhava a água sempre era límpida, que delicia, e no fim do feriado no dia do retorno, entrava no carro e começava tudo de novo, até que um dia depois de desidratar e meus pais não aguentarem mais, minha mãe, bateu um papo comigo e disse uma coisa e isso ficou na minha cabeça ” calma se o carro quebrar, o guincho leva pra casa e está tudo certo, então PARA DE CHORAR!”. Verdade!!! o poder das palavras e uma boa dose de paciência adulta rs. Depois disso o dia brilhava, podia até chover, como muitos conhecem Ubachuva, mas para mim era sempre sol, tanto na ida quanto na volta!

Retomando a história do meu conhecido, ele bebia e fumava bastante, pela minha experiência de anos a traz achei que ele sofria do mesmo problema que eu, vai que o carro quebra, achei até engraçado uma pessoa com aquela idade ou mesmo a sensação de afastar-se de casa, deixar os seus confortos, a segurança do seu lar, um médico ou hospital próximo, nos dias de hoje faz muita gente desistir da viagem ou deixa-lo bem inseguro, acreditei e deixei de lado.

Passado alguns anos me encontrei com essa figura, e logo me veio na cabeça aqueles episódios, pois foram alguns, expliquei a ele que me interessava por esses momentos, mesmo sendo bons ou maus, principalmente depois que montei o blogue, sempre converso com as pessoas a respeito, do prazer que ele sente quando viaja, o que ele pensa, o que ele faz antes de viajar, os preparativos essas coisas, é bem curioso, muitos relatos interessantes e então fiz a pergunta indiscreta. A resposta foi uma grande surpresa!

“Rapaz, sabe que na época, morria de medo da minha esposa ao volante!”
Parei olhei bem pra ele, sorri e soltei um “ah tá! Sério, sempre achei que ela dirigia muito bem!

Nossa, pensei que era…. quase isso! kkkk

Desculpe, mas mulher dirige muito melhor que homem, minha mãe sempre foi um grande exemplo disso!
Até breve!

 

Galeria

Uma das mais belas do brasil!

Praia de Juquehy
Praia de Juquehy, litoral norte de São Paulo – Mirante da estrada velha.

Manhã de céu azul com poucas nuvens a mata atlântica beira a estrada, os manacas da serra, salpicam suas flores sobre o denso verde, tons rosas, lilases, brancos, a brisa da manhã entra pela janela aberta do carro, aquele frescor invade o carro, naquele dia de pura contemplação, todos os seus sentidos fervilham, então você olha, olha, olha, a composição é tão agradável e única que fica dificil segurar o olhar em um único lugar.
Sigo em frente, passo algumas curvas uma mini serra e quando você acostuma com toda aquela beleza, você chega ao topo da serra, uma pequena curva a esquerda a mata densa se abre ao seu lado direito, toda aquela luz invade o carro, você então direciona a sua atenção as janelas do lado direito avista o mar azul ao longe, ainda estasiado, aproxima seu campo de visão e avista uma praia de areias brancas toda aquela mata que antes estava tão próxima, agora distante, quase toca o mar, as ondas brancas cominham sobre o mar azul ate se encontrar com as areias brancas.
O melhor de tudo é que esta a menos de 200km de São Paulo, indo pela Imigrantes ou Anchieta sentido Guarujá a primeira praia do litoral norte, que alias ainda guarda alguns segredos conhecidos por poucos, cabe em outro post! Aguardem! Rs. Também pode seguir pela Dutra, Airton Senna depois Tamois e e desce para rio santos pela serra de Caraguatatuba, você também pode vir pela Dutra até Taubaté e acessar a serra que da acesso a Ubatuba. Todas elas dão acesso a rio-santos, umas das estradas mais belas do Brasil. A minha dica é entrar nela logo no começo sainda da Piaçaguera/ Guarujá sentido Bertioga e seguindo até Parati – que também já falei no blogue – se você tiver com tempo e quer relaxar com maravilhosas surpresas ao londa da estrada é uma ótima pedida, sempre vai haver algum lugar pra almoçar tomar um café, se hospedar continuar no dia seguinte. Vale muito a pena!

Abraços e até o próximo.
Imagem

Virando nativo!?

Certa vez em um papo animado no café, conversando a respeito de viagens, sobre  idas e vindas, lugares bons para se conhecer. Eis que surge a frase “Ai, você vira nativo”. Nos referíamos ao GPS, com ele em vários países e muito difícil se perder, Porém, não é só o GPS que faz você virar nativo, buscar conteúdo cultural e histórico do lugar também ajuda, e sempre é muito prazeroso conhecer mais sobre o país em questão.

Pois bem, sendo assim, ai vou eu me aventurar nos livros sobre a Irlanda…

A Irlanda é um pais bem antigo, registros indicam vida a mais de 7000 anos AC um dos registros mais importantes esta no Natural History Museum, onde temos o cervo irlandês gigante.

Apesar de seu relativo isolamento,  a Irlanda se manteve ausente em eventos históricos europeus. Os romanos por exemplo, nem passaram por perto, a partir do século 3 AC junto com a idade do ferro, migram da Europa Central, pela França e Bretanha os Celtas, se tornam a cultura dominante, trazem consigo suas crenças e mitos, por isso, muitas historias antigas da Irlanda giram em torno de mitos e reis heroicos,  – quem não se lembra da historia do “Leprechaum” que rodou o mundo? Reza a lenda que “se você pegar um, ele o guiará a um pote de ouro, mas cuidado se você tirar os olhos dele, ele desaparecerá no ar”.  – Até a chegada dos vikings a partir do século 9º DC a Irlanda vivia relativa paz. Sem êxito em dominar a Irlanda os vikings se misturam aos irlandeses e deixam sua marca, além de fragmentar a Irlanda celta eles também impõe novos métodos de agricultura e cunhagem, fundam a cidade de “Dubh Linn” que mais tarde se tornou Dublin. Passado alguns anos a ilha foi  invadida novamente, agora pelos anglo-normandos. Em 1169 Henrique II  se auto intitula senhor da Irlanda, porém por pouco tempo, e em 1172, seus cavaleiros dividem entre si as terras formando grandes baronias.

Em 1532 quando Henrique VIII rompeu com a igreja católica, a Irlanda virou um campo de batalha, entre católicos irlandeses e as forcas da coroa inglesa. Todo lugar aonde o povo irlandês foi derrotado, suas terras eram confiscadas e doadas a protestantes ingleses e escoceses.

De 1845 a 1848 a Irlanda passa pelo período mais negro de sua história:  A Fome, mais de duas milhões de pessoas morreram, emigraram ou foram expulsos pela coroa inglesa. Começa então o movimento pela autonomia da Irlanda, que ganha força em 1920. O Government of Ireland Act divide a ilha, onde, o Sul tornou-se estado livre da Irlanda, ganhando sua independência total em 1937, e o norte virou parte do Reino Unido, sendo palco nas décadas de 1970, 1980 e parte da de 1990 de confrontos entre grupos paramilitares legalistas e republicanos, somente em 1998,  foi criado o Acordo da sexta-feira Santa abrindo assim caminho para a nova assembleia da Irlanda do norte e para a paz.

Ufa…. Resumidamente foi isso…

Traçando um paralelo….

Brasil, 500 anos de história…. Estamos quase lá, pelo menos temos a nossa Preguiça Gigante, a muitos anos foram encontrados fósseis próximos a São Rafael – RN, mas essa e outra história….

Vejo vocês no próximo post.